quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Socialistas debatem sustentabilidade urbana durante o FST

Com o Plenarinho da Câmara de Vereadores de Porto Alegre lotado, socialistas de todas as regiões do País debateram alternativas sustentáveis para as cidades brasileiras na manhã desta quarta-feira (25). O rico debate ocorreu na oficina “A Sustentabilidade Urbana”, realizada pelo Movimento Popular Socialista – MPS durante o Fórum Social Temático 2012.
Para Mari Machado, dirigente nacional e representante da Fundação João Mangabeira – FJM na atividade, o debate sobre o tema é de extrema importância e está ligado diretamente ao que o PSB se propôs a discutir em âmbito nacional para as próximas eleições: a questão urbana.
A painelista da oficina, Leny Toniolo, apresentou as políticas públicas voltadas ao desenvolvimento sustentável promovidas em Curitiba, onde comanda a Secretaria de Meio Ambiente. A cidade administrada pelo socialista Luciano Ducci conseguiu através de ações em diferentes áreas reduzir significativamente seu índice de pobreza, chegando a 3,64% em 2011, segundo a Fundação Getúlio Vargas. “Temos todos os problemas de cidades grandes, mas implementamos políticas públicas para diminuí-los ao máximo e garantir maior qualidade de vida à população”, afirmou Leny.
A secretária destacou que não existe um conceito fechado de sustentabilidade urbana. “Ele funciona como um tripé, que inclui os fatores econômico, social e ambiental, mas precisa levar em conta a história, a cultura e o meio físico da cidade. Cada comunidade deve decidir o que é sustentável para ela”, defendeu. Leny acrescentou ainda que é comum durante o debate sobre o tema esquecer-se de que a questão ambiental não diz respeito apenas ao que convencionamos por “natureza”, mas que inclui as pessoas e as relações humanas. Para a painelista, as cidades devem facilitar, além da mobilidade urbana e da preservação ambiental, a interação entre as pessoas e a interação das pessoas com o meio ambiente.
Como exemplo dessa integração em sua cidade, Leny aponta a existência de uma política pública de conservação ambiental e o fato de todos os parques de Curitiba, incluindo Jardim Botânico e Zoológico, terem acesso gratuito. “Buscamos democratizar estes espaços, fazer com que toda a população possam conviver com eles. Hoje temos 64m² de área verde por habitante, considerando-se apenas as áreas verdes com mais de 100m², não incluindo áreas pequenas, como passeios públicos”, destacou. Leny também citou que Curitiba possui plano de regularização fundiária que prioriza as áreas de risco, onde as moradores são transferidos para local seguro e as áreas até então ocupadas são recuperadas.
Sobre a mobilidade urbana, a secretária lembrou que a capital paranaense vem incrementando o transporte coletivo desde a década de 70. “Hoje temos um transporte de qualidade e com tarifa social, onde as pessoas podem se deslocar entre todas as estações com o mesmo bilhete”, falou. Os consórcios urbanos foram outra alternativa encontrada pelo municípios para garantir o tratamento de resíduos sólidos e a qualidade da água que abastece a cidade. “Como a cidade não tem nascente de rios, trabalhamos em parceria com outros municípios através de um consórcio de recursos hídricos, para que o tratamento da água seja mais viável”, afirmou. Com relação aos resíduo sólidos, a cidade possui coleta seletiva desde 1989 e disponibiliza galpões para cooperativas de catadores a fim de que os trabalhadores não desloquem o lixo para seus locais de moradia e tenham um ambiente de trabalho mais adequado.
No debate que se seguiu à explanação de Leny Toniolo, os participantes destacaram a necessidade de se aprofundar o tema com os pré-candidatos a vereador e a prefeito, além de se fortalecer a participação da sociedade civil no planejamento das cidades, do acompanhamento pela população dos gastos públicos e da criação de alternativas ao transporte rodoviário.
Ao final do evento, o MPS entregou placa em homenagem ao filiado Ivo Fortes, fundador do Movimento Popular no Rio Grande do Sul e no Brasil.
Também prestigiaram a oficina o vice-governador do Rio Grande do Sul, Beto Grill, a secretária nacional do MPS, Maria de Jesus Natividade, a secretária nacional de Mulheres do PSB, Dora Pires, a deputada estadual Cristina Almeida (PSB-AP), a deputada estadual Laura Gomes (PSB-PE), o deputado estadual Miki Breier (PSB-RS), o deputado federal José Stédile (PSB-RS), o vereador socialista de Porto Alegre, Airto Ferronato, o secretário interino do MPS do RS, Nestor Maltha, a secretária de Mulheres do RS, vereadora Anabel Lorenzi, representantes dos diversos segmentos organizados do PSB e militantes.
Fonte: www.psbrs.org.br

Nenhum comentário: