segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Terceira via ganha força em churrasco no Litoral

Aniversário de Beto Albuquerque reuniu a comunista Manuela e Bertolucci, líder do PP

Líderes do PP consideraram um sucesso o almoço na casa de praia do ex-ministro Francisco Turra, no sábado, em Rainha do Mar. O pretexto para o encontro foi comemorar os 46 anos do deputado federal Beto Albuquerque (PSB) - completados em 6 de janeiro - de quem Turra é tio e padrinho. Mas o que motivou, de fato, a reunião, nas palavras do próprio Turra, foi "o caminho da candidatura da terceira via ao governo do Estado".
Para convencer seus colegas de partido de que a candidatura de Beto ao Piratini tem chances reais, Turra lança mão de levantamentos que indicariam a boa aceitação do socialista pelos eleitores gaúchos. Segundo Beto, PSB e PTB (outra das siglas que pode integrar a composição "alternativa") já estão encaminhando uma nova pesquisa, com o objetivo de medir as preferências dos eleitores. O sonho do deputado é a formação de uma aliança que reúna, pelo menos, PSB, PTB, PP, PCdoB e PPS. Os levantamentos a serem feitos deverão indicar se ele ou o deputado estadual Luís Augusto Lara, pré-candidato do PTB ao Piratini, tem mais viabilidade eleitoral para encabeçar a chapa que disputará o governo. Ao PP, será destinada uma das vagas do Senado.
A composição anima ainda integrantes do PCdoB. A deputada federal Manuela D''Ávila e o presidente do partido no RS, Adalberto Frasson, estavam entre os convidados de Turra para o almoço de sábado. Na hora de registrar o encontro, Manuela, em conversa animada com o presidente estadual dos progressistas, Pedro Bertolucci, ouviu do dirigente: "Nós dois juntos, hein, Manuela, quem diria". A deputada foi rápida na resposta: "Eu digo e quero isso há muito tempo. Vocês é que não nos queriam, Pedro".

Bertolucci: ''Somos diferentes, isso não é empecilho''

O PP começa a discutir de fato a possibilidade de aliar-se ao PSB e ao PCdoB para as eleições de outubro e pretende ter uma definição até março. A garantia foi dada no almoço de sábado pelo presidente estadual do partido, Pedro Bertolucci. "Não é uma terceira via, mas um novo projeto. Ideologicamente somos bem diferentes, mas isso não é empecilho. Estamos construindo o discurso para que nossos companheiros possam entender que podemos construir algo diferente."
Questionado sobre o fato de o PP mostra-se mais inclinado a apoiar o PSB do que o PSDB, com quem já mantém uma aliança no governo estadual, o dirigente afirmou que o partido é "a favor de um novo momento, que deixe para trás as polarizações". "Não vejo que, com o PSDB, possa haver essa construção", disse. Mesmo com os encaminhamentos adiantados em relação ao PSB, Bertolucci conversou na semana passada com o secretário estadual da Saúde, Osmar Terra (PMDB), e deve se reunir com o presidente estadual do PSDB, o deputado federal Cláudio Diaz, nesta semana.
Segundo um líder progressista, o encontro de sábado não teve representantes do PTB ou do PPS porque o objetivo era "focar no PP". O partido é cortejado há meses pelo deputado Beto Albuquerque, que viu reunirem-se no almoço progressistas considerados importantes em horas decisivas ou com funções importantes nas negociações pelo Interior. Além de Turra e Bertolucci, marcaram presença Celso Bernardi, que em ocasiões anteriores havia defendido a manutenção da aliança com o PSDB, o deputado federal José Otávio Germano, o presidente da Famurs, Marcus Vinícius Vieira de Almeida, e o deputado federal Renato Molling.

Fonte: Correio do Povo - Segunda, 11 de janeiro de 2010.
Foto: Daniela Miranda

Nenhum comentário: