quarta-feira, 11 de junho de 2008

Crise do Governo estadual pode chegar até Fogaça

Após a divulgação do diálogo entre o vice-governador Paulo Feijó e o chefe da Casa Civil, Cézar Busatto, que abalou o estado, acompanhamos vários desdobramentos, que começaram com a exoneração de quatro figuras importantes do Governo de Yeda Crusius.

No depoimento de segunda-feira a CPI do Detran na Assembléia Legislativa, a postura 'paz e amor' e de conciliação adotada por Cézar Busatto recentemente não resistiu aos ataques e às provocações dos deputados adversários, que envolveram, além da gravação feita pelo vice-governador Paulo Afonso Feijó, o período em que ele esteve na gestão Fogaça, na Prefeitura de Porto Alegre.

Vereadores de Porto Alegre já solicitaram que Busatto dê explicações também na Câmara Municipal.

Veja abaixo a parte da conversa entre o vice-governador Paulo Feijó e o chefe da Casa Civil, Cézar Busatto, que cita Porto Alegre:

Busatto — (inaudível) Quanto a isso, eu tenho bastante convicção nisso. A governadora, eu acho que (inaudível). Mas eu sinto muito isso em Porto Alegre: um pequeno partido, mas que ganha uma eleição dessas, que precisa governar com maioria para poder viabilizar seu governo, que é um pouco o caso do DEM, que nunca governou o Estado...

Fontes:
Correio do Povo, 10/06/2008, Coluna Taline Oppitz
Zero Hora, Política, 06/06/2008

Nenhum comentário: