segunda-feira, 3 de março de 2008

PSB e PR fecham aliança com Manuela

Com a coligação, a candidata aumenta o tempo na TV

A sete meses das eleições municipais, PSB, PC do B e PR selaram ontem aliança para lançar a deputada federal comunista Manuela DÁvila como candidata a prefeita de Porto Alegre.
A decisão foi tomada em reunião entre os diretórios municipais e estaduais dos partidos na sede do PSB, na Capital. A partir de agora, o bloco negociará em conjunto coligação com PDT, PPS e outras siglas. A expectativa dos dirigentes é garantir cerca de três minutos de programa eleitoral em rádio e TV.
- Somos um bloco que não quer se fechar. Está fechado entre si, mas continuaremos conversando em busca de mais apoios - disse Manuela.
Pré-candidato a prefeito pelo PSB, o deputado Beto Albuquerque abriu mão da disputa. O parlamentar decidiu coordenar a campanha e a costura com os demais partidos. A estratégia do trio é se apresentar como uma alternativa entre o prefeito José Fogaça, que concorrerá à reeleição, e o PT.
- Formamos um novo arranjo partidário, que ainda não governou a cidade. Porto Alegre merece uma opção nova e inovadora - relatou.
Com o afastamento de parceiros tradicionais, o PT tende a ficar isolado no primeiro turno. Integrantes do PSB e PC do B avaliam que o partido costuma governar sozinho.
Conforme o presidente do PT de Porto Alegre, vereador Marcelo Danéris, o partido tentará a aliança, nem que seja no segundo turno. Na próxima semana, os petistas tentarão atrair PSB e PC do B.
- Continuaremos conversando. Não temos medo de enfrentar as eleições sozinhos. O PT tem história - afirmou.
Nas próxima semanas, PSB, PC do B e PR intensificarão conversas com PPS e PDT. Manuela se reuniu com dirigentes do PPS para uma conversa inicial no final da manhã de ontem.
- Eles (comunistas) acreditam que o projeto do PT se esgotou em parte e o do Fogaça precisa avançar. Estamos abertos a todos os partidos - relatou o presidente do PPS da Capital, Paulo Odone.

O tabuleiro em Porto Alegre

PMDB: José Fogaça concorrerá à reeleição;
PT: No dia 16, prévia definirá entre a deputada federal Maria do Rosário e o ex-ministro Miguel Rossetto o candidato;
PSB, PC do B e PR: A deputada federal Manuela DÁvila (PC do B) será a candidata da coligação;
PDT: Está dividido entre indicar o vice de Fogaça e lançar candidatura própria. Há dois pré-candidatos: José Fortunati e Vieira da Cunha;
PP: A sigla ainda não definiu se lançará a secretária estadual da Cultura, Mônica Leal, se apoiará o atual prefeito ou fará coligação com outros partidos;
PPS: O partido está dividido entre lançar o deputado federal Nelson Proença e apoiar Fogaça, que saiu da legenda no ano passado. A sigla também namora o PC do B;
PSDB: O deputado estadual Nelson Marchezan Júnior é pré-candidato, respaldado pelo PSDB nacional. Há grupos que brigam pelo apoio a Fogaça;
PTB: Deve apoiar Fogaça;
DEM: - Lançará o deputado federal Onyx Lorenzoni;
PSOL: Oficializou a deputada federal Luciana Genro como candidata a prefeita;
PV: Deve se aliar ao PSOL;
PSC: O engenheiro Moacir Fischmann será o candidato.

Fonte: Zero Hora, 01 de março de 2008, em Política - Eleições, Pg. 14

2 comentários:

Lauro Roberto Hagemann disse...

Acredito ser muito importante lançarmos com certa antecedência um nome capaz de ser identificado pelo eleitor. Seria muito bom se fosse um nome do nosso partido na cabeça de chapa, mas de forma alguma podemos deixar de reconhecer que a deputada Manuela representa uma alternativa viável e, sobretudo, crível de ganharmos a eleição. Agora é arregaçar as mangas e trabalhar!!

Saudações socialistas!!

Anônimo disse...

Não acredito na candidatura do Engenheiro Moacir Fischmann pelo PSC.O escândalo da merenda auinda ecoa no cenário político da capital e o PSC é visto como vinculado a isso. Creio que o PSC acabárá se aliando ao PSDB ou ao Onyx.
Bem, isso sem contar que em termos de estrutura, o PSC está no marco zero.